Pular para o conteúdo principal

O que podemos traduzir?

As pessoas acham que porque sabemos um segundo idioma conseguimos traduzir tudo. Até um certo ponto é verdade, somos pesquisadores e devemos saber um pouco sobre tudo, porém o que temos de pensar é que não basta falar e compreender a língua, há muitas nuances da tradução que vão além do conhecimento linguístico, um exemplo disso é a tradução médica, que é a especialização que estou fazendo agora. Nossa! Especialização para isto? Sim, isso mesmo. Você já imaginou traduzir um manual sobre covid-19 para a população e o mesmo material para uma equipe de médicos? Será que seria a mesma tradução? Com certeza não, pois o primeiro passo na tradução médica é entender quem é o público que irá ler aquele material. E por que isso é importante? Porque baseando-se nesta premissa poderemos saber quais palavras, termos e expressões que devemos usar.


Aqui dei um exemplo, já imaginou traduzir artigos científicos sobre "Diferenças Clínicas e Complementares de Apêndices Normais e Inflamados com Diagnóstico de Apêndice Aguda?"


Você sabe o que isso significa? Pois é, eu também não, mas para iniciar o trabalho, é necessário saber do que se trata, quem é o público alvo e a partir disso começar a tradução.


É necessário saber como utilizar acrônimos, abreviações, nomes de instituições, números e outras informações relevantes.

E o que traduzimos nesta área? Artigos científicos, estudos clínicos, bulas de remédio, manuais, receitas médicas, livros e tudo relacionado à medicina.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como dizer soluço em inglês?

Olá. Vamos aprender uma expressão bem simples em inglês? Como dizer estou com soluço? Muito fácil.

Por que trabalhamos em dupla na interpretação?

Muitas pessoas me perguntam porque sempre vocês fazem um evento em dupla? Nossa! "É um evento de duas horas, você dá conta". Bem, até conseguimos, mas o desgaste cognitivo e mental é muito grande.  Você já parou para pensar o que é uma interpretação?  Temos de ouvir, processar a ideia e transmiti-la em questão de segundos e em outra língua, e na interpretação remota isso se faz mais necessário, pois há possibilidade de queda de energia e perda de conexão e o seu colega tem de assumir.  A cada 20 minutos trocamos de intérprete ou até menos tempo dependendo da complexidade do evento. Então, como realizar esta troca de intérpretes e de informações na interpretação remota? Estando na mesma cabine, combinamos o tempo de troca, cronometramos e damos um sinal ao concabino (a) e assim que surge uma oportunidade fazemos de troca de intérpretes.  Contudo, na interpretação remota temos que estar conectados pelo que chamamos de back channel (recurso utilizado para a comunicação dos conca